Aletheia

Da educação do futuro orador

  • by
por Quintiliano “São a paixão e a fantasia que nos deixam eloquentes” — Marco Fábio Quintiliano. 1. Na maior parte das crianças não falta inteligência, e sim a aplicação. Ao nascer um filho, o pai nele concentra todas as esperanças, visto que, desde o início, procura esmerar-se. Isto, porque é falsa a queixa de que são poucos os que podem aprender o que se lhes ensina e, se a maior… Continue a ler »Da educação do futuro orador

Eric Voegelin e o docetismo

  • by
por Juliano Chaves Baptista Parte I: Influências de Kierkegaard na filosofia de Eric Voegelin Eric Voegelin é um filósofo muito mais famoso pelo uso panfletário de determinados aspectos do seu pensamento do que, de fato, por ser alguém estudado de forma integral. É interessante o uso que muitos apologistas católicos fazem de trechos de sua obra, especialmente do livro IV do História das Ideias Políticas – na parte em que… Continue a ler »Eric Voegelin e o docetismo

Sete Problemas com uma Igreja Movida a Atividades

  • by
por Rev. Thom Rainer, Ph.D. tradução de Natan Cerqueira Muitas igrejas estão ocupadas; provavelmente, muito ocupadas. Os calendários de igrejas se enchem muito rapidamente com uma miríade de programas e atividades. Embora nenhuma dessas atividades possa ser individualmente problemática, a presença de muitas opções pode ser. Uma igreja movida a atividades é uma congregação cuja visão de corpo é aquela que diz que quanto mais ocupados, melhor. Dessa perspectiva, mais… Continue a ler »Sete Problemas com uma Igreja Movida a Atividades

Martinho Lutero e o erro de Eric Voegelin

  • by
Introdução O tratamento de Eric Voegelin em relação a Martinho Lutero em História das Ideias Políticas (daqui em diante, História; asreferências de páginas, quando não forem descritas, pertencem ao vol. IV da História) é um retorno à força de espírito e à subtendida escrita furiosa. Aos que não estão familiarizados com este material, deixe-nos começar dando alguns exemplos: Primeiramente, o capítulo voltado a Lutero e Calvino é intitulado “A Grande… Continue a ler »Martinho Lutero e o erro de Eric Voegelin

A reforma não intencionada de Dostoiévski

  • by
Os personagens de Fiodor Dostoiévski, como o próprio Fiodor Dostoiévski (surpresa!), frequentemente revelam uma hostilidade ao protestantismo e, em geral, à cristandade ocidental. Pode-se ver isso em Os Irmãos Karamazov. Por exemplo, em O Grande Inquisidor, Ivan se refere a “uma terrível nova heresia” que “apareceu no norte da Alemanha”, isto é, o luteranismo [1]. Em Que Assim Seja! Que Assim Seja!, numa discussão sobre tribunais eclesiásticos, o ancião Zosima… Continue a ler »A reforma não intencionada de Dostoiévski

Nossos Ídolos, por Rui Barbosa

Cerramos hoje, aqui, as contas públicas que a querela da Gazeta de Notícias nos induziu a dar da nossa atitude, da nossa linguagem, das nossas intenções. Se tão abundantes satisfações ainda não satisfazem o estimável colega, ao menos envidamos o possível, por honrar a alta origem da provocação, não obstante a surpresa que nos causou a nós e a todos. Demos o que de nós podíamos dar; e, se ficamos… Continue a ler »Nossos Ídolos, por Rui Barbosa

A Igreja, por Eduardo Carlos Pereira

  • by
“E se tardar para que saibas como deves portar-te na Casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, coluna e firmamento da verdade” I Timóteo 3:15 Pondo de parte qualquer outra asserção do Apóstolo no texto, é meu intento, prezados irmãos, indagar nesta hora alguma coisa sobre a natureza do Deus vivo, que afirma S. Paulo ser a Casa de Deus, coluna e firmamento da verdade. Em face… Continue a ler »A Igreja, por Eduardo Carlos Pereira

Aristóteles na visão de Filipe Melâncton

  • by
Filipe Melâncton é consistente na forma como ele lida com a apropriação do pensamento clássico e particularmente aristotélico, pensando sobre a virtude para o benefício dos cristãos. Melâncton vê que Aristóteles tem uma utilidade especial para fins políticos, desde que seja dada a sua insistência de que Aristóteles deveria ser considerado apenas quando fala de virtudes cívicas ou temporais: virtude coram hominibus em vez de virtude coram Deo. E isto… Continue a ler »Aristóteles na visão de Filipe Melâncton

Philip Schaff: de herege a autoridade intelectual

  • by
Poucos intelectuais têm, de fato, a honra de serem repartidos por duas facções opostas. Isso ocorre porque ou querem unir as facções ou tratam da realidade como a máxima tomista: veritas est adaequatio intellectus et rei. Com Philip Schaff, ocorre por ambos motivos. Ao lermos suas obras somos convidados a um tribunal semelhante ao de Zaleuco: nós, juízes, e ele, réu, ambos com cordas pelo pescoço, à espera de quem… Continue a ler »Philip Schaff: de herege a autoridade intelectual